sexta-feira, 2 de abril de 2010

Explicação dos Modos Verbais Romenos

Hoje vou explicar alguns detalhes dos modos verbais no idioma romeno.

Modo Infinitivo

O modo infinitivo é o mais simples de todos. Ele representa simplesmente o nome da ação ou fenômeno. Em romeno ele é usado em certas construções verbais. É um modo impessoal, não se flexiona em função da pessoa gramatical. É usado para formar alguns tempos compostos.

A forma mais comum do infinitivo é a chamada "forma curta", que é precedida pela preposição "a". Essa é a forma na qual os verbos aparecem no dicionário, ou em um contexto onde o infinitivo do verbo funciona independentemente.

Exemplos:

a cânta = cantar
a vedea = ver
a merge = caminhar, andar, ir
a fugi = fugir
a hotarî = decidir

Existe uma forma do infinitivo chamada "forma longa", ou "substantivo verbal", na qual os verbos podem terminar em -are, -ere, -ire, ou -âre, e funcionam como substantivos nesse caso.

Exemplos:

Cântare = (o) canto - substantivo de "cantar" ("a cânta")
Vedere = (a) visão - substantivo de "ver" ("a vedea")
Pierdere = (a) perda - substantivo de "perder" ("a pierde")
Iubire = (o) amor - substantivo de "amar" ("a iubi")
Hotărâre = (a) decisão - substantivo de decidir ("a hotarî")

O modo infinitivo é também muito usado quando fazemos recomendações, damos instruções, etc.

Exemplos:

A se păstra la rece = Manter em lugar frio (lit. "se manter ao frio").
A nu se lăsa la indemână copiilor = Não deixar ao alcance de crianças.


Modo Indicativo

Os verbos no modo indicativo, indicam que a ação do verbo é real, acontecendo no presente, no passado ou no futuro. Usamos este modo quando fazemos afirmações (ou negações). Expressam fatos, e não suposições ou desejos.

Exemplos:

Casa este mare = A casa é grande.
Copacul este înalt = A árvore é alta.
Băiatul este scund = O garoto é baixo.


Modo Subjuntivo

O modo subjuntivo é usado quando a ação verbal é vista como possível, desejada, virtual, imaginada, mas que na realidade não acontece. Este modo é usado para formar alguns tempos compostos.

A forma do subjuntivo é simples, apenas acrescenta-se a partícula "să" imediatamente antes do verbo, sendo que o verbo se flexiona da mesma forma que no modo indicativo (em função da pessoa, número, tempo e voz).
Um detalhe muito importante: ocorre uma pequena mudança na letra final dos verbos quando estiverem na terceira pessoa do modo subjuntivo (singular e plural).

- Verbos terminados em -ă no indicativo, mudam para -e no subjuntivo.
- Verbos terminados em -e no indicativo, mudam para -ă no subjuntivo.

Exemplos:

No indicativo - El cântă. = Ele canta.
No subjuntivo - El vrea să cânte. = Ele quer cantar.

No indicativo - Ea vine. = Ela vem.
No subjuntivo - Ea vrea să vină. = Ela quer vir.

No indicativo - Ei merg la şcoală. = Eles vão à escola.
No subjuntivo - Ei vor să meargă la şcoală. = Eles querem ir à escola.

Compare o infinitivo com o subjuntivo para entender a utilização. O infinitivo serve para expressar um fato, enquanto o subjuntivo serve para expressar desejo, dever, possibilidade, etc.

Infinitivo - Eu lucrez = Eu trabalho. (Fato. A ação do verbo acontece, é real.)
Subjuntivo - Vreau să lucrez = Quero trabalhar. (Desejo. A ação do verbo não acontece, é desejada, daí o emprego do modo subjuntivo)

Infinitivo - Eu făc curaţenia = Eu faço a limpeza. (Fato)
Subjuntivo - Trebui să făc curaţenia = Tenho que fazer a limpeza. (Dever)

Infinitivo - Tu mergi la şcoală = Você vai à escola. (Fato)
Subjuntivo - Poţi să mergi la şcoală = Você pode ir à escola. (Possibilidade)

O modo subjuntivo é essencial pois é usado para auxiliar a formação do tempo futuro mais comum no idioma romeno.

Exemplos:
Futuro (forma mais usada): Eu o să cânt, tu o să cânţi, el o să cânte, ... (repare o uso da partícula do subjuntivo "să" seguida do verbo)


Modo Particípio

O particípio dos verbos nunca é usado independentemente. É um modo que sempre auxilia a formar tempos compostos. Assim como na língua portuguesa, os verbos no modo particípio podem ser usados como adjetivos, e nesse caso flexionam-se como os adjetivos (em gênero e número).

Forma-se o modo particípio dos verbos da seguinte maneira:

Verbos terminados em -a: mudam para -at
Verbos terminados em -ea: mudam para -ut
Verbos terminados em -e: mudam para -ut, -s, -t (depende do verbo)
Verbos terminados em -i: mudam para -it
Verbos terminados em -î: mudam para -ât

Exemplos:

A cânta (cantar) - Cântat (cantado)
A vedea (ver) - Văzut (visto)
A face (fazer) - Făcut (feito)
A merge (ir) - Mers (ido)
A zice (dizer) - Zis (dito)
A trăi (viver) - Trăit (vivido)
A coborî (descer) - Coborât (descido)

A forma do particípio é muito importante, pois ajuda a formar por exemplo o tempo pretérito composto, que é o padrão para expressar o passado dos verbos. Veja:

Exemplos:

A cânta (cantar) - Eu am cântat (eu cantei)
A vedea (ver) - Tu ai văzut (eu vi)
A face (fazer) - El a făcut (ele fez)
A merge (ir) - Ea a mers (ela foi)
A zice (dizer) - Eu am zis (eu disse)
A trăi (viver) - Voi aţi trăit (vocês viveram)
A coborî (descer) - Ei au coborât (eles desceram)

Veja como os verbos no particípio podem se comportar e ser usados como adjetivos, e como conseqüência, flexionando-se em gênero e número (assim como acontece em português):

A deschide (abrir) - Deschis (aberto) - Deschişi (abertos) - Deschise (abertas)
A închide (fechar) - Închis (fechado) - Închişi (fechados) - Închise (fechadas)

A forma negativa do particípio é formada por derivação. O prefixo ne- é adicionado à forma afirmativa. Muito importante saber isso, para saber a forma negativa de alguns adjetivos.

Exemplos:

A cunoaşte (conhecer) - Cunoscut (conhecido) - Necunoscut (não conhecido, desconhecido)

A vedea (ver) - Văzut (visto) - Nevăzut (não visto)

Outro uso do modo particípio é formar um outro modo vebal: o modo supino. Leia mais adiante sobre o modo supino para saber mais.


Modo Gerúndio

O modo gerúndio difere do correspondente na língua portuguesa. Em português, temos o gerúndio dos verbos para indicar que uma ação ocorre no momento em que se fala ou expressa uma circunstância ou modo. Como por exemplo: "eu estou andando" ou "eu estou a andar" (eu andava no momento em que falava) ou "eu passei correndo" (eu passei, "correndo" expressa o modo como eu passei).

Já em romeno, para expressar a mesma coisa geralmente usamos o tempo presente do indicativo, desta forma: "eu cânt" pode significar "eu canto" ou "eu estou cantando"/"eu estou a cantar", pois em romeno o presente do indicativo dos verbos também é usado para expressar uma ação que ocorre ao mesmo tempo em que se fala.

Agora, falando do modo gerúndio no idioma romeno, na gramática existe uma regra quanto ao seu uso. E a regra é a seguinte: usamos o modo gerúndio dos verbos como um "complemento de circunstância", indicando modo, tempo, causa, etc. Este uso do gerúndio corresponde com um dos usos desse modo em língua portuguesa.

Exemplos:
Em romeno: L-am găsit lucrând. ("lucrând" é o gerúndio de "a lucra")
Em português: O encontrei trabalhando. ("trabalhando" é o gerúndio de "trabalhar").

No exemplo anterior, o que o modo gerúndio está expressando é uma circunstância. "Encontrei" é o verbo principal. "Trabalhando" é um complemento (indica a circunstância).

Forma-se o gerúndio dos verbos em romeno acrescentando -ând ou -ind, seguindo o modelo:

Verbos terminados em -a, -ea, -e, -î: Final muda para -ând
Verbos terminados em -i, -ia, -chia, -ghea, -ie: Final muda para -ind

Exemplos:
A lucra - Lucrând
A vedea - Văzând
A merge - Mergând
A hotarî - Hotarând
A iubi - Iubind
A copia - Copiind
A scrie - Scriind


Modo Imperativo

O modo imperativo expressa uma ordem, pedido ou recomendação.

A forma do imperativo dos verbos na 2ª pessoa do singular ("tu"), geralmente é idêntica à forma da 3ª pessoa do presente ("el/ea") do modo indicativo. Isto é fácil de entender, já que na língua portuguesa temos uma forma alternativa de imperativo que costuma ser assim também:

Exemplos:

Em português:
Você canta/Tu cantas, ele canta, ... (presente do indicativo).
Cante! (imperativo).
Canta! (outra forma de imperativo, igual à 3ª pessoa do presente do indicativo)

Em romeno:
Tu cânţi, el cântă, ... (presente do indicativo)
Cântă! (imperativo, igual à 3ª pessoa do presente do indicativo)

A forma do imperativo dos verbos na 2ª pessoa do plural ("voi") é diferente da forma na 2ª pessoa do singular ("tu"). Mas na realidade, essa forma é idêntica à 2ª pessoa do plural do presente do indicativo.

Exemplo:
Presente do indicativo: Voi cântaţi.
Imperativo: Cântaţi! (repare que a forma é idêntica)

A forma negativa do imperativo para a 2ª pessoa do plural ("voi") é muito simples: basta acrescentar "nu" (significa "não") antes do verbo.

Exemplo:
Imperativo, 2ª pessoa do plural ("voi"), forma afirmativa: Cântaţi!
Imperativo, 2ª pessoa do plural ("voi"), forma negativa: Nu cântaţi!

Já a forma negativa do imperativo para a 2ª pessoa do singular ("tu") é diferente, mas é tão simples quanto. Basta acrescentar "nu" antes do verbo, mas o verbo deve estar na forma do infinitivo (sem a partícula "a").

Exemplo:
Imperativo, 2ª pessoa do singular ("tu"), forma afirmativa: Cântă!
Imperativo, 2ª pessoa do singular ("tu"), forma negativa: Nu cânta!

Repare no exemplo anterior que no imperativo negativo, a forma do verbo fica igual à forma do infinitivo, apenas acrescenta-se o "nu" imediatamente antes. Fazendo uma analogia ao português, é como se ao invés de dizer "não fume!" (que é o correto) você dissesse: "não fumar!" (não falamos assim mas é comum escrever assim para indicar lugares onde fumar é proibido. Em romeno é sempre dessa forma: "nu fuma!" = "não fume!").

Outro detalhe, existem formas irregulares de imperativo. Veja a seguir alguns verbos cuja forma do imperativo é irregular.

Exemplos:
A fi (ser) - Fii! fiţi! (seja!)
A face (fazer) - Fă! (faça!)
A desface (desfazer) - Desfă! (desfaça!)
A duce (levar) - Du! (leve!)
A aduce (trazer) - Adu! (traga!)
A conduce (dirigir) - Condu! (dirija!)
A reduce (reduzir) - Redu! (reduza!)
A traduce (traduzir) - Tradu! (traduza!)
A veni (vir) - Vino! (venha!)
A zice (dizer) - Zi! (diga!)


Modo Optativo-Condicional

O modo optativo e o modo condicional são idênticos na forma, apesar de terem funções distintas. Por terem a mesma forma é que costumamos dizer modo optativo-condicional ao invés de termos modo optativo e modo condicional.

Este modo verbal expressa um desejo de que a ação aconteça (optativo), ou uma condição para isso (condicional).

Para formar o modo optativo-condicional, usamos uma partícula antes do verbo, que é diferente para cada pessoa gramatical:

Eu aş...
Tu ai...
El/Ea ar...
Noi am...
Voi aţi...
Ei/Ele ar...

Exemplos:

Em português: Eu quero ler um livro.
Em romeno: Eu aş citi o carte. (optativo: eu quero)

Em português: Eu vou embora hoje, se não chover.
Em romeno: Eu o să plec astăzi, de n-ar ploua. (condicional: se não chover)

Em português: Se eu pudesse, eu iria à escola.
Em romeno: De-aş putea, aş merge la şcoală. (condicional: se eu pudesse... eu iria)


Modo Presumptivo

O modo presumptivo é bem simples. Ele expressa uma suposição. Quando dizemos por exemplo em português: "ele deve estar doente" ou "talvez ele esteja doente", estamos supondo a ação do verbo (da construção verbal "estar doente"). Não estamos afirmando que "ele está doente" (isso seria o modo indicativo). Estamos apenas supondo. Em romeno, esse tipo de construção equivale ao verbo no modo presumptivo.

Para formar este modo, basta acrescentar uma partícula antes do verbo, que é diferente para cada pessoa gramatical:

Eu oi...
Tu oi...
El/Ea o...
Noi om...
Voi oţi...
Ei/ele or...

Exemplos:

Em português: Ele deve estar doente. / Talvez ele esteja doente.
Em romeno: El o fi bolnav.

Em português: Ela deve estar em casa. / Talvez ela esteja em casa.
Em romeno: Ea o fi acasă.

Em português: Eles devem ter saído. / Talvez eles tenham saído.
Em romeno: Ei or fi plecat.

Em português: Talvez eu vá à escola.
Em romeno: Eu oi merge la şcoala.

Repare que construções em português como "será que..." possuem uma equivalente em romeno ("oare..."):

Em português: Será que estou doente?
Em romeno: Oare sunt bolnav?


Modo Supino

O modo supino é um pouco complicado de se entender no início, mas é a coisa mais simples do mundo. Verbos nesse modo se comportam como substantivos, mas sem perder o significado do verbo. O verbo no modo supino tem a forma do particípio, precedido por uma preposição (geralmente "de" ou "pentru"). Em português, o equivalente ao verbo no modo supino seria a forma do infinitivo precedida pela preposição. É mais fácil de entender com exemplos:

Exemplos:

E greu de crezut. = É difícil de acreditar.
Am de lucrat mult. = Tenho de trabalhar muito.
Carnea e bună de mâncat. = A carne é boa de comer.
Maşină de scris. = Máquina de escrever.
Maşină de spălat. = Máquina de lavar.
Fier de călcat. = Ferro de passar.


Fonte: Gramática romena - Dana Cojocaru

5 comentários:

  1. Olá!

    Não sei se vc chegará a ler este comentário,mas eu gostaria de te dizer q eu fiquei mto emocionada por conhecer outra pessoa tão apaixonada pela Romênia qto eu.
    Conheci o seu blog há pouco tempo e estou aprendendo bastante, gostaria de te agradecer imensamente por fazer este blog tão cheio de informações sobre este maravilhoso país q eu tanto adoro.
    bjos e tudo de bom =]

    ResponderExcluir
  2. detalhezinho, "tu ai vazut" ta como "eu vi", bobeira.
    mas como vc faz esses caracteres romenos que nao tem no teclado, tipo s e t com cedilha??

    Ps: seu blog é mto foda!!

    ResponderExcluir
  3. Cláudio Tavares8 de junho de 2012 13:18

    é a minha pergunta também Caio..., e aproveito para agradecer muito o quanto tenho aprendido por aqui. forte abraço. Cláudio.

    ResponderExcluir